O aumento anormal do açúcar no sangue é considerado uma doença metabólica conhecida como Diabetes mellitus. O Dia Internacional do Diabético comemorado em 27 de junho é uma forma de levar conscientização para sociedade sobre as formas de tratamento que a doença pode ter. Embora ainda não exista cura, o tratamento indicado para cada tipo é uma forma de proporcionar saúde e qualidade de vida para a pessoa diabética.

Estima-se que até 2018 o Brasil tinha 8,9% da população portadora da doença e que esse número cresceu mais de 60% entre 2006 e 2016, segundo dados do Ministério da Saúde e do Governo Federal divulgados em novembro de 2018. Hoje é possível viver bem com a diabetes, cuidar e tratar é o que mantem a qualidade de vida dos portadores. É importante que a pessoa diabética siga as orientações médicas e adote atitudes saudáveis, como boa alimentação e prática de atividades físicas. O IBRAPP apoia essa ideia, cuide-se e procure o médico caso sinta alguns dos sintomas abaixo:

A adoção de hábitos saudáveis e o diagnóstico precoce pode reduzir o risco de mortalidade. Segundo o Ministério da Saúde existem dois tipos de diabetes:

1- Diabete Tipo 1- Esses pacientes precisam de injeções diárias de insulina para manter a glicose no sangue em níveis normais. Para essa medicação é preciso utilizar um aparelho chamado glicosímetro, capaz de verificar as variações da glicose dia a dia do paciente. 

2- Diabete Tipo 2- Para os portadores de tipo 2 o tratamento consiste primeiramente na identificação do grau e a necessidade de cada pessoa para cada tipo de tratamento. Alguns desses tratamentos envolvem os inibidores da alfaglicosidase – que impedem a digestão e absorção de carboidratos no intestino, o tratamento também pode ser realizado por meio de sulfonilureias, glinidas, entre outros. Por se tratar de um tipo em que os pacientes possuem graus distintos é importante manter sempre o monitoramento médico para o tratamento adequado.

Atualmente o Sistema Único de Saúde – SUS oferece medicamentos gratuitos pelo programa Farmácia Popular. São seis medicamentos financiados pelo Ministério da Saúde. Além disso, os portadores de diabetes possuem acompanhamento nas Unidades Básicas de Saúde onde podem ter a indicação adequada para seu tipo, além de prevenir a evolução para casos mais graves. No mês de junho, foi realizada, em Brasília, a primeira cirurgia para tratar a diabetes pelo SUS. A cirurgia, que funciona como espécie de bariátrica, é indicada para pacientes que não respondem mais ao tratamento clínico e que por esse motivo já apresentam risco de vida. 

 

SOBRE A DIABETES

A diabetes é considerada uma doença crônica, pode ser genética, porém, não hereditária e o termo faz referência ao fato do pâncreas não produzir insulina suficiente para controlar o açúcar no sangue. É um distúrbio do metabolismo da glicose que além de causar alteração glicêmica pode comprometer outros órgãos e sistemas. 

Diabetes tipo 1

Doença crônica em que o pâncreas produz pouca ou nenhuma insulina. Aqui o estilo de vida e a alimentação não influenciam no diagnostico nem na propensão da doença.

Diabetes tipo 2

Doença crônica que afeta a forma como o corpo processa o açúcar do sangue (glicose). É desenvolvida em etapas da vida adulta, e muito frequente em idosos e pessoas que sofrem com obesidade. Além disso, a utilização de fármacos pode influenciar no surgimento desse tipo de diabetes. 

Pré-diabetes

Condição em que o açúcar no sangue está elevado, mas não o suficiente para ser classificado como diabetes do tipo 2. Nesse momento é importante prevenir, a alimentação saudável e a prática de atividade física são aliados para uma vida saudável.

Diabetes gestacional

Altos níveis de açúcar no sangue que afetam gestantes. Nesse tipo de diabetes é normal que após o nascimento da criança a mãe tenha os índices glicêmicos normalizados. Porém é uma alerta, já que, segundo pesquisas, muitas mulheres que possuem diabetes gestacional acabam desenvolvendo tipo 2 em outro momento da vida. 

 

Publicado em Notícias

Na última segunda-feira (3), o Instituto Brasileiro de Políticas Públicas - IBRAPP deu início ao projeto “A Vida Continua”, uma iniciativa que visa conscientizar a população a respeito do convívio com o HIV/AIDS, minimizando o preconceito com o portador e abordando a prevenção. Este é o segundo ano da ação, que desta vez contou com o digital influencer,  Francisco Garcia (@fgnico) para fazer a palestra de abertura na sede administrativa do Instituto, em São Luís - MA, e um talk show na Universidade Federal do Maranhão - UFMA.
 
De acordo com os dados da Unaids, mais pessoas estão aprendendo a conviver com o HIV, através do tratamento e testagem para o vírus. Em 2017, 75% das pessoas que vivem com o HIV conheciam seu estado sorológico. Já no levantamento anterior, feito em 2015, 67% dessa população tinha esse conhecimento. Ainda de acordo com o relatório da Unaids, existem 21,7 milhões de pessoas vivendo com HIV, e que têm acesso à terapia antirretroviral. Em 2015 esse número era de 17,2 milhões.

 
No primeiro momento da ação a presidente do Instituto, Rita Salgado, realizou a saudação aos ibrappianos falando sobre a promoção da igualdade e dos direitos para os portadores de HIV e AIDS, além das possibilidades de futuro para  os portadores que seguem o programa de medicação e controle por testagem. “O nosso intuito com esta ação é sinalizar que é possível usufruir, com o tratamento, de uma vida normal. O diagnóstico do HIV não significa o fim da vida e sim, um recomeço”, enfatizou a Rita Salgado.
 
 
A Vida Continua e Tio Francisco na estrada
 
Aproximadamente 9,4 milhões de pessoas vivem com HIV e não sabem que são portadoras do vírus. O projeto A Vida Continua enfatiza a possibilidade conviver com a doença, bem como minimizar os preconceitos sofridos por quem está em tratamento, ou é diagnosticado com o vírus. Convivendo como portador do vírus HIV há 04 meses, o ex-apresentador de TV, Francisco Garcia, decidiu compartilhar a experiência desta descoberta e levar conhecimento sobre o vírus através das redes sociais.
 
Através de sua conta no Instagram, o @fgnico, que já possui mais de 200 mil seguidores, divide informações importantes com o público e viabiliza o projeto “Tio Francisco na estrada”, no qual ele realiza palestras em todo o Brasil, para um público diverso, porém com foco nos jovens. Dentro do projeto A vida continua, Francisco compartilhou com o público da Universidade Federal do Maranhão - UFMA informações sobre prevenção e rotina de tratamento, no intuito de motivar outras pessoas a seguir adiante com seus planos, indo muito além do diagnóstico.

 

 Para o influencer saber lidar com a doença foi transformar o próprio diagnóstico em ação social. Francisco aproveitou a oportunidade para parabenizar a o projeto A vida Continua, e o convite realizado pelo IBRAPP de trazer o debate com ele para o público. “Eu me sinto muito honrado pelo convite, fiquei orgulhoso em fazer parte deste momento, vocês estão sendo a diferença para uma parcela da sociedade que precisa se prevenir e isso salva vidas”, externou. Além da palestra testes rápidos para Doenças Sexualmente transmissíveis, incluindo HIV, e distribuição de preservativos com Kits informativos foram realizadas para o público.
 
Ação descentralizada
 
A Ação a vida continua, se estende por toda a semana, em todos os estados onde o IBRAPP está presente. Em Brasília, a parceria com a divisão de saúde do Ministérios dos Transportes Portos e Avião (MTPA) e a Oncontek, realizaram uma ação de conscientização através da distribuição de folders educativos,  preservativos e um espaço “tira dúvida” sobre o HIV. A vida continua é um projeto do Instituto Brasileiro de políticas Públicas que conta ainda com o apoio do Unaids, da Secretaria de Saúde do Maranhão.  

Publicado em Notícias

A Universidade Federal do Maranhão - UFMA recebe pela segunda vez o projeto “A Vida Continua”, uma iniciativa do Instituto Brasileiro de Políticas Públicas - IBRAPP. A ação será realizada nesta segunda-feira (3) e marca os 30 anos da luta mundial contra a AIDS. O público terá acesso a atendimentos de saúde, informações sobre prevenção e tratamento da doença e a um talk show com o Instagramer, Francisco Gracia, (@fgnico). A abertura será a partir das 8h, no auditório principal do Centro Pedagógico Paulo Freire. A entrada é gratuita e a iniciativa conta ainda com o apoio da Secretaria Municipal de saúde.

Com o foco nos desafios enfrentados pela população portadora do HIV/AIDS a campanha “A Vida Continua” traz o projeto Tio Francisco na estrada, que retrata de forma acessível a todos os públicos as formas de prevenção de doenças sexualmente transmissíveis. As palestras itinerantes são protagonizadas pelo talk show de Francisco Garcia, Jornalista e ex-apresentador televisivo, que foi diagnosticado como soropositivo para o HIV e decidiu fazer desta condição, um modo de ajudar a outros portadores a se aceitarem e buscarem conviver com a doença, sem abandonar seus projetos e planos de vida.


A segunda edição do “A Vida Continua” conta com o apoio da Secretaria Municipal de Saúde e a UFMA. Serão realizadas rodas de conversa, testagem rápida para HIV/AIDS, orientações sobre prevenção e a distribuição de preservativos. Os debates contarão com a presença do Secretário Municipal de Saúde, Dr Luís Carlos de Assunção, do Coordenador Municipal de IST/AIDS e Hepatites Virais, Wendel Alencar, e da representante do movimento Cidadãs PositHIVas, Cleudiane dos Santos. Toda programação é gratuita e aberta ao público.

30 anos da Luta contra a AIDS

No dia 27 de outubro de 1988, a Assembleia Geral da ONU e a Organização Mundial de Saúde instituíram o dia 1º de dezembro como o Dia Mundial de Luta contra a AIDS. Desde então, diversas instituições se engajaram nesta luta, tomando o mês de dezembro com um dos símbolos do combate ao vírus.

 

Publicado em Notícias
Download Free Premium Joomla Templates • FREE High-quality Joomla! Designs BIGtheme.net