Terça, 19 Fevereiro 2019 15:12

Especialistas alertam sobre os cuidados com escorpião

 

O aumento da temperatura e as rápidas chuvas são características da estação do ano mais aguardada pelos brasileiros: o verão. Muitas pessoas aproveitam essa época do ano para tirar férias e viajar com a família. Mas, com a chegada do verão, também temos o crescimento de insetos que podem fazer mal a nossa saúde, como o escorpião. Em certas regiões do Brasil, como em Minas Gerais e no Rio de Janeiro, acidentes com escorpião crescem demasiadamente nesse período e o ambiente quente e úmido não favorece seu combate. Porém é preciso cuidado redobrado por parte da população para prevenir casos com o inseto.

 Segundo a enfermeira do Núcleo de Vigilância Epidemiológica Hospitalar (NUVE), do Hospital Frei Gabriel, Ana Catarina Oliveira, o escorpião gosta de ambientes escuros e úmidos, por isso durante o dia eles procuram se esconder em lugares insalubres, ficando longe dos olhos das pessoas, ela complementa que: “eles passam o dia escondidos em lugares escuros, entre as frestas ou debaixo de pedras, folhas e troncos, ou enterrados na areia e são comuns em lugares com entulhos com restos de madeira ou de construção, e passam a serem mais ativos à noite quando vão se alimentar”.


De acordo com os especialistas, é importante manter sempre os ambientes limpos e secos, verificar os sapatos e roupas antes de usar, bloquear buracos e frestas em paredes e muros, conferir lugares onde madeira é predominante, forros e rodapés que possam hospedar o escorpião. Mas, se apesar de todos os cuidados ainda ocorrerem acidentes, a picada de um escorpião pode causar vermelhidão e inchaço podendo em casos mais graves causar queda de pressão, enjoos, espasmos musculares entre outros sintomas que podem levar até a morte.

Segundo a veterinária e coordenadora do Centro de controle de Zoonose em Frutal, Camila Veiga, em caso de picada e é importante se dirigir imediatamente ao hospital mais próximo e se possível levar o escorpião que causou a picada em um pote de vidro. “Orientamos lavar o local da picada com água e sabão, não amarrar, não furar nem cortar o local, não queimar nem espremer ou fazer sucção. Evitar passar qualquer medicamento sem orientação médica, ou folhas medicinais, pó de café ou terra, para que não sejam provocadas maiores infecções”, enfatiza a coordenadora.

No Brasil existem aproximadamente 160 espécies de escorpião e no mundo cerca de 2.200 vivendo em florestas e desertos. As espécies mais perigosas são: o escorpião amarelo, marrom, amarelo do nordeste e escorpião preto da Amazônia. Em caso de picadas, o soro do escorpião, que pode ser administrado em um hospital, sendo essencial para casos mais graves.  Produzida com próprio veneno do escorpião, a substancia combate o veneno dentro do organismo do paciente, especialmente para aqueles em que o organismo não consegue eliminar naturalmente, devido a grande quantidade absorvida.

Download Free Premium Joomla Templates • FREE High-quality Joomla! Designs BIGtheme.net